STU Criciúma tem campeã mundial, medalhista olímpica e promessas do’old school’ do skate street

A temporada 2022 do skate brasileiros será aberta a partir de sexta-feira com a disputa do STU National, em Criciúma, interior de Santa Catarina. Com Rayssa Leal, Pâmela Rosa, Virginia Fortes Aguas, Gabi Mazetto, João Lucas Alves e Lucas Rabelo, além de Giovana Dias e Eduardo Neves, campeões brasileiros amadores de 2021, e do paraskatista Felipe Nunes como principais estrelas, o fim de semana será marcado pelas disputas do street. A modalidade park vai acontecer na semana que vem.

No Park, Pedro Barros, Luiz Francisco (que também correrá no Street), Pedro Quintas, Yndiara Asp, Dora Varella e Isadora Pacheco estão na relação de nomes que ainda conta com os campeões brasileiros amadores de 2021, Raicca Ventura e Kalani Konig (que também estará no Street), além de Gui Khury.

Com a chancela da Confederação Brasileira de Skate (CBSk), a disputa do STU National será no Parque Municipal Prefeito Altair Guidi, uma das mais modernas pistas do país.

O evento já começou nesta quinta-feira (13) com treinos oficiais na modalidade Street, categorias masculina e feminina; as finais serão disputadas no domingo (16). A modalidade Park (masculino e feminino) terá nas finais no dia 23 (domingo).

Ao todo, a etapa de street reúne nesta semana 17 skatistas entre as mulheres e 52 entre os homens. O sportv transmite as semifinais no sábado, e as finais serão transmitidas ao vivo dentro do Esporte Espetacular, no domingo.

Entre os homens, os destaques que vão tentar superar o favoritismo do atual vice-campeão mundial Lucas Rabelo são João Lucas Alves, Gabryel Aguilar, Eduardo Neves, entre outros como Marcelo Formiga, de 39 anos, um ícone com 30 anos de skate no pé, e Kalani Konig, de apenas 14 anos e que além da etapa de street do STU, neste fim de semana, disputará a modalidade park, semana que vem.

– É uma oportunidade muito boa estar correndo com os ídolos – diz o catarinense Kalani, que anda de skate desde os 8 meses de idade e hoje é considerado um dos destaques do circuito nacional aos 14 anos, mesma idade de Rayssa Leal, medalhista de prata nas Olimpíadas de Tóquio. No street, o Brasil ainda conquistou a medalha de prata com Kelvin Hoefler nos Jogos, mas ele não veio dos Estados Unidos para disputar essa etapa do circuito nacional.

Já entre as mulheres, Pâmela e Rayssa disputam o título contra skatistas que já se destacam nacional e internacionalmente como Gabi Mazetto, Virginia Fortes Águas, Kemily Suiara, Marina Gabriela e Ariadne Souza.

– Entramos em 2022 com o objetivo de poder evoluir ao máximo. O STU representa nossa volta. Eu mesma tive cinco ou seis dias de férias. Porque 2021 foi um ano bem corrido. E já começou 2022, com uma das competições mais importantes para nós – diz Pâmela, que competiu machucada nas Olimpíadas de Tóquio, não foi ao pódio, mas se recuperou e conquistou o bicampeonato mundial em novembro.

Deixe seu comentário!

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.