Tainá Hinckel pode conquistar seu segundo título sul-americano Pro Junior nos confrontos diretos com a vice-líder do ranking, Julia Duarte, desde a primeira bateria em São Sebastião

A quarta e última etapa do Oi Pro Junior Series e a decisão dos títulos sul-americanos no Oi Longboard Pro, começam nesta sexta-feira na Praia de Maresias, em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. As baterias do Pro Junior masculino e feminino e as do Longboard masculino, foram divulgadas e tem confronto direto por título sul-americano já na primeira fase. Tainá Hinckel pode confirmar o bicampeonato em Maresias e vai enfrentar a vice-líder do ranking, Julia Duarte, desde a primeira bateria, completada por Pamella Mel e Sophia Medina, irmã do bicampeão mundial que vai estrear em eventos profissionais da World Surf League. Daniel Templar também pode conseguir o título antecipado, mas é certo que os campeões sul-americanos de Longboard serão conhecidos neste fim de semana, com a carioca Chloé Calmon e o peruano Piccolo Clemente chegando em São Sebastião na frente dos rankings.

Daniel Templar-RJ (Foto: Fabriciano Junior / Oi)

A catarinense Tainá Hinckel está invicta no Brasil esse ano, ganhou as três etapas que participou, como as duas do Oi Pro Junior Series que competiu, no Rio de Janeiro e na Bahia. Não pôde ir na terceira, logo a do seu estado, pela convocação para representar o país no ISA Surfing Games, que aconteceu na mesma semana no Japão. A paulista Isabela Saldanha aproveitou para vencer na Praia da Joaquina, ganhando chance na disputa do título sul-americano e pelas duas vagas para o Mundial Pro Junior da World Surf League em Taiwan. Outras fortes concorrentes são as peruanas Sol Aguirre e Daniella Rosas.

Foi no Oi Pro Junior Series de Santa Catarina, que a carioca Julia Duarte tirou o segundo lugar no ranking de Sol Aguirre, que a bicampeã sul-americana em 2017 e 2018 vinha mantendo desde a derrota na final da primeira etapa na Barra da Tijuca, para a campeã de 2016, Tainá Hinckel. Daniella Rosas esse ano, conseguiu sua primeira vitória em etapas do Circuito Mundial WSL Qualifying Series na Argentina e lidera o ranking principal da WSL Latin America, sem limite de idade como o de 18 anos para a categoria Pro Junior.

Julia Duarte-RJ (Foto: Marcio David / Oi)

Depois, Daniella ganhou medalha de ouro para o Peru no Pan-americano de Lima e não participou das duas últimas etapas do Circuito Sul-americano Pro Junior no Brasil. Caiu para sétimo no ranking, mas vai somar os dois resultados, em Maresias e no Mancora Junior Pro Peru, semana que vem, enquanto as que estão à sua frente, têm que trocar pontos por já terem cinco computados.

TÍTULO NAS SEMIFINAIS – Tainá completará o limite agora, então com os 560 pontos do terceiro lugar no Oi Pro Junior Series em Maresias, atinge imbatíveis 4.120 no ranking final de 2019. Se seguir com Julia Duarte nas baterias com quatro surfistas das primeiras fases, as duas chegarão juntas nas semifinais, mas com Tainá já com seu segundo título sul-americano confirmado, antes mesmo da última etapa no Peru, nos próximos dias 14 e 15. A batalha então passa a ser pela segunda vaga para o Mundial Pro Junior e essa promete ir até a últimas baterias do ano no Mancora Junior Pro Peru.

Tainá Hinckel-SC (Foto: Fabriciano Junior / Oi)

As outras principais concorrentes também encabeçam as baterias da primeira fase em São Sebastião. A número 3 do ranking, Sol Aguirre, enfrenta três brasileiras na primeira. A paulista Isabela Saldanha, campeã da etapa passada do Oi Pro Junior Series em Florianópolis (SC) e treinada no Instituto Medina em Maresias, está na segunda bateria com Bruna Carderelli e as duas únicas participantes do Chile. A da Tainá e da Julia, com Sophia Medina, é a terceira e Daniella Rosas está na última.

Sol Aguirre-PER (Foto: Marcio David / Oi)

SOPHIA MEDINA – O bicampeão mundial Gabriel Medina está em casa nessa semana e, antes de partir para tentar o tri no Havaí, deve acompanhar de perto a estreia da irmã em eventos da World Surf League. Sophia Medina tem apenas 14 anos de idade, mas já coleciona títulos como o irmão no início, é bicampeã do circuito Rip Curl Grom Search em 2018 e 2019, campeã paulista no Hang Loose Surf Attack em 2018 e campeã brasileira Sub-16 de 2019.

Sophia Medina (Munir El Hage / Hang Loose Surf Attack)

Já começa a seguir os passos do bicampeão e vai representar o Brasil na final internacional do Rip Curl Grom Search, mesmo evento que revelou Gabriel Medina para o mundo em 2010 na França. Só que terá um teste de fogo logo em sua primeira participação em um evento internacional de surfe profissional, na bateria das líderes do ranking da WSL Latin America, Tainá Hinckel e Julia Duarte. Ou seja, terá que surfar melhor do que uma delas em sua estreia na categoria Sub-18, para se classificar. Outra jovem promessa do surfe brasileiro, Pamella Mel, completa essa disputa por duas vagas para a segunda fase.

PRO JUNIOR MASCULINO – Na categoria masculina, dos oito principais concorrentes ao título sul-americano, sete fazem parte da lista dos dezesseis cabeças de chave, que só estreiam na segunda fase do Oi Pro Junior Series em São Sebastião A única exceção é o número 4 do ranking, Daniel Adisaka, que está a apenas 315 pontos de distância do líder, Daniel Templar. Ele entra na quinta das oito baterias da primeira fase, que deve abrir o evento na sexta-feira em Maresias, com mais três brasileiros, Ian Casal, Marcelo Borges e Rayan Fadul. Os dois melhores avançam para enfrentar os cabeças de chave.

Daniel Adisaka-SP (Foto: Pedro Monteiro / Oi)

Se vencer, Daniel Adisaka irá para a bateria do peruano Raul Rios, que está logo abaixo dele no ranking, na quinta posição. Se passar em segundo lugar, vai para a do também paulista Fernando Junior, o John John, sétimo colocado. O saquaremense Daniel Templar, que lidera o ranking e pode garantir o título sul-americano com uma vitória no Oi Pro Junior Series, dependendo de uma combinação de resultados dos adversários, vai estrear na terceira bateria da segunda fase, junto com o peruano Ricardo Williams.

Lucas Vicente-SC (Foto: Marcio David / Oi)

O vice-líder, Lucas Vicente, de Florianópolis (SC), entra no confronto seguinte com o paulista Eric Bahia, que compete em casa em Maresias. E o potiguar Mateus Sena, terceiro colocado no ranking, começa a defender essa última vaga para o Mundial Pro Junior na bateria anterior a do líder, a segunda. Entre os oito principais concorrentes ao título sul-americano, ainda tem o paulista Eduardo Motta na primeira bateria e o catarinense Leo Casal na oitava e última.

Mateus Sena-RN (Foto: Marcio David / Oi)

LONGBOARD – No Oi Longboard Pro, que vai definir os títulos sul-americanos de 2019 da WSL Latin America neste fim de semana, apenas as baterias dos homens já foram divulgadas. Assim como no Pro Junior masculino, os mais bem ranqueados estão na lista dos oito cabeças de chave que entram na segunda fase. O já tricampeão sul-americano e bicampeão mundial, Piccolo Clemente, que venceu a primeira etapa na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, será o último a estrear na Praia de Maresias.

O peruano também foi medalhista de ouro no Pan-americano de Lima, está na quarta e última bateria da segunda fase, com o brasileiro Maike Finessi. Vice-campeão no primeiro Oi Longboard Pro, o capixaba Alexandre Escobar entra na terceira com Josimar Pita. O também bicampeão mundial e defensor do título sul-americano, Phil Rajzman, está na primeira com o uruguaio Julian Schweizer. E na segunda, tem outro cabeça de chave do Uruguai, Ignacio Pignatario, com o brasileiro João Gabriel Santana.

Seus adversários sairão dos quatro confrontos da primeira fase. Dois grandes nomes do longboard brasileiro, foram escalados para abrir o Oi Longboard Pro em Maresias, Carlos Bahia e Jefson Silva. Eles vão disputar as duas primeiras vagas para a segunda fase com Caio Teixeira. E na segunda bateria, já terá um primeiro campeão sul-americano se apresentando em São Sebastião, Jeferson Silva, de Saquarema (RJ).

LONGBOARD FEMININO – As baterias femininas do Oi Longboard Pro ainda não foram divulgadas, mas a carioca Chloé Calmon, número 1 no ranking mundial de Longboard da World Surf League e medalha de ouro para o Brasil no Pan-americano de Lima no Peru, está confirmadíssima para tentar seu primeiro título sul-americano. Ela ganhou a primeira etapa em casa na Barra da Tijuca, derrotando Maria Fernanda Reyes na final do Rio de Janeiro.

A peruana será sua principal concorrente em Maresias. Isso porque a tricampeã nas três únicas disputas de título sul-americano da história da WSL Latin America, Atalanta Batista, é dúvida. A pernambucana não está entre as que se inscreveram antecipadamente, mas ainda tem vagas para completar o limite de participantes do Longboard feminino.

IGUALDADE DE GÊNEROS – O Oi Pro Junior Series e o Oi Longboard Pro foram os primeiros eventos destas modalidades no Brasil, realizados com o princípio da igualdade de gêneros, incentivado pela World Surf League. Em todas as etapas, a premiação da categoria feminina é a mesma oferecida para a masculina. Os campeões e as campeãs de cada pódio do Pro Junior e do Longboard, ganham 1.200 dólares. Os vice-campeões e vice-campeãs, recebem 600 dólares e os eliminados (as) nas semifinais, 300 dólares pelo terceiro lugar.

Oi Pro Junior Series e o Oi Longboard Pro são uma realização da World Surf League Latin America com patrocínio da Oi como naming rights e da Subway, com todas as quatro etapas contando com o portal Waves como parceiro de mídia e sendo transmitidas ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo www.waves.com.br. Esta última etapa na Praia de Maresias também conta com o importante apoio da Prefeitura Municipal de São Sebastião, da Federação Paulista de Surf e das Associações de Surf de Maresias e de São Sebastião.  

A OI E O ESPORTE – A Oi acredita no potencial de transformação do esporte e patrocina grandes eventos esportivos como o Oi Rio Pro, Oi Pro Junior Series – voltado para a categoria de base do surfe – e Oi STU Open. Além de apoiar atletas de diferentes modalidades, como os surfistas Gabriel Medina, Italo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima, Adriano de Souza, Tatiana Weston-Webb, Davizinho, Tainá Hinckel e os skatistas Pedro Barros e Leticia Bufoni, a companhia acelera, em parceria com o Instituto Ekloos e apoio do Oi Futuro, cinco projetos de surfe na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, que são voltados para a população local. A Oi também patrocina a equipe de judô Oi Sogipa, no Rio Grande do Sul.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

jcarvalho@worldsurfleague.com

——————————————————————

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem promovendo os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 230 eventos globais masculinos e femininos no ano para definir os campeões mundiais do World Surf League Championship Tour, Big Wave Tour,  Redbull Airborne, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, além do WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, enquanto incentiva a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da WSL. A World Surf League é pioneira em streaming online para uma enorme legião de fãs apaixonados e interessados em ver as grandes estrelas, como Kelly Slater, Stephanie Gilmore, John John Florence e muitos brasileiro, como Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Silvana Lima, Tatiana Weston-Webb, competindo no campo de jogo mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

——————————————————————

BATERIAS DO OI PRO JUNIOR SERIES E DO OI LONGBOARD PRO:

Atenção: baterias sujeitas a alterações até o início do evento

PRIMEIRA FASE – 3.o=33.o lugar com 120 pontos e 4.o=41.o lugar com 113 pts:

1.a: Rodrigo Saldanha (BRA), Caio Costa (BRA), Mateus Basley (BRA), Martin Ottado (URU)

2.a: Luan Hanada (BRA), Thiago Eduardo (BRA), Tierres Alves (BRA), Guilherme Marques (BRA)

3.a: Kauê Germano (BRA), Uriel Sposaro (BRA), Guilherme Fernandes (BRA), Diego Brigido (BRA)

4.a: Daniel Lemos Ferlin (BRA), Heitor Mueller (BRA), Nicolas Padilla (BRA), Renan Rodrigues (BRA)

5.a: Daniel Adisaka (BRA), Ian Casal (BRA), Marcelo Borges (BRA), Rayan Fadul (BRA)

6.a: Sergio Luan (BRA), João Lucas Bessy (BRA), Kalany Ratto (BRA), Murillo Coura (BRA)

7.a: Tiago Carrique (BRA), Hedieferson Junior (BRA), Lucas Lisboa (BRA), Vinicius Parra (BRA)

8.a: Philippe Neves (BRA), Pedro Bianchini (BRA), Cauã Gonçalves (BRA), Kainan Meira (BRA)

SEGUNDA FASE – entrada dos 16 cabeças de chave:

———-3.o=17.o lugar com 200 pontos e 4.o=25.o lugar com 185 pontos

1.a: Eduardo Motta (BRA), Pedro Pupo (BRA), 1.o da 1.a bateria da 1.a fase e 2.o da 2.a

2.a: Leonardo Barcelos (BRA), Mateus Sena (BRA), 1.o da 2.a bateria e 2.o da 1.a

3.a: Daniel Templar (BRA), Ricardo Williams (PER), 1.o da 3.a e 2.o da 4.a

4.a: Lucas Vicente (BRA), Eric Bahia (BRA), 1.o da 4.a e 2.o da 3.a

5.a: Raul Rios (PER), Ryan Kainalo (BRA), 1.o da 5.a e 2.o da 6.a

6.a: Wallace Vasco (BRA), Fernando Junior (BRA), 1.o da 6.a e 2.o da 5.a

7.a: Diego Aguiar (BRA), Cauã Costa (BRA), 1.o da 7.a e 2.o da 8.a

8.a: Leo Casal (BRA), João Vitor Cypriano (BRA), 1.o da 8.a e 2.o da 7.a

PRIMEIRA FASE FEMININA – 3.a=9.o lugar com 300 pts e 4.a=13.o lugar com 280 pts:

1.a: Sol Aguirre (PER), Kemily Sampaio (BRA), Ariane Gomes (BRA), Mariana Areno (BRA)

2.a: Isabela Saldanha (BRA), Bruna Carderelli (BRA), Dominique Charrier (CHL), Estela Lopez (CHL)

3.a: Tainá Hinckel (BRA), Julia Duarte (BRA), Sophia Medina (BRA), Pamella Mel (BRA)

4.a: Daniella Rosas (PER), Coco Cianciarulo (ARG), Naire Marquez (BRA), Maju Freitas (BRA)

PRIMEIRA FASE DO LONGBOARD – 3.o=17.o lugar com 200 pts e 4.o=21.o lugar com 193 pts:

1.a: Carlos Bahia (BRA), Caio Teixeira (BRA), Jefson Silva (BRA)

2.a: Jeferson Silva (BRA), Gabriel Moura (BRA),

3.a: Theo Viana (BRA), Gilmar Teixeira (BRA), Rafael Cortez (CHL)

4.a: Wenderson Biludo (BRA), Jonas Santos (BRA), Romoaldo Nascimento (BRA)

SEGUNDA FASE – entrada dos 8 cabeças de chave:

———-3.o=9.o lugar com 300 pontos e 4.o=13.o lugar com 280 pontos

1.a: Phil Rajzman (BRA), Julian Schweiser (URU), 1.o da 1.a bateria da 1.a fase e 2.o da 2.a

2.a: Ignacio Pignataro (URU), João Gabriel Santana (BRA), 2.o da 1.a e 1.o da 2.a

3.a: Alexandre Escobar (BRA), Josimar Pita (BRA), 1.o da 3.a e 2.o da 4.a

4.a: Piccolo Clemente (PER), Maike Finessi (BRA), 2.o da 3.a e 1.o da 4.a

Deixe seu comentário!

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.