O prazo do Billabong Pipe Masters começou no domingo de ondas pequenas e vai até o dia 20, com três brasileiros na briga pelo troféu de campeão da World Surf League em 2019

O domingo amanheceu com ondas muito pequenas em Pipeline e o início da batalha final pelo título mundial na última etapa do World Surf League Championship Tour 2019, foi adiado para a segunda-feira, às 7h00 no Havaí, 15h00 no Brasil. O Billabong Pipe Masters tem prazo até o dia 20 para fechar a temporada no maior palco do esporte e as previsões indicam boas ondas para esta semana. Nos tubos de Pipeline e do Backdoor, serão definidos o campeão mundial, classificação para as Olimpíadas de Tokyo e as últimas vagas para o CT 2020.

Cada bateria será decisiva e três brasileiros estão na briga pelo título mundial, pela primeira vez na história, Italo Ferreira liderando o Jeep Leaderboard, Gabriel Medina defendendo o título do Pipe Masters e tentando o tricampeonato, e Filipe Toledo. Os dois que ficarem na frente no ranking final do WSL Tour, se classificam para disputar medalhas para o Brasil na estreia do surfe como esporte olímpico no Japão.

Apenas dois surfistas podem impedir um segundo título mundial brasileiro seguido no Havaí, o sul-africano Jordy Smith e, com chances mais remotas, o californiano Kolohe Andino. Ambos terão um adversário vestindo verde-amarelo em suas primeiras baterias. Dos cinco concorrentes, Kolohe será o primeiro a competir, na segunda bateria com o também americano Griffin Colapinto e o potiguar Jadson André, já classificado para o CT 2020.

Filipe Toledo-SP
(Ed Sloane / WSL via Getty Images)

Na terceira, estreia Filipe Toledo junto com o também paulista Deivid Silva e o neozelandês Ricardo Christie. Jordy Smith entra na seguinte com o português Frederico Morais tentando o título da Tríplice Coroa Havaiana e o paranaense Peterson Crisanto, que precisa de um bom resultado para não sair da elite, pois ocupa a 22.a e última posição na lista dos que são mantidos para o ano que vem, pelo ranking principal da World Surf League.

ESTREIA DOS LÍDERES – Na sequência, entram os pole-positions da última corrida pelo título mundial de mais uma temporada dominada pelo Brasil. Ambos vão estrear com brasileiros que tentam entrar na zona de classificação para o CT 2020. Gabriel Medina está na quinta bateria com o catarinense Willian Cardoso (23.o no ranking). O potiguar Italo Ferreira entra com a lycra amarela do Jeep Leaderboard na sexta, com o cearense Michael Rodrigues (24.o).

Gabriel Medina-SP
(Ed Sloane / WSL via Getty Images)

O terceiro adversário deles serão definidos na triagem, que vai abrir o evento. A rodada inicial das etapas do World Surf League Championship Tour, é classificatória. Os dois melhores de cada bateria, avançam direto para a terceira fase, mas os últimos colocados têm outra chance na repescagem. Esta segunda fase é a última com confrontos de três competidores e, dessa vez, os terceiros colocados são eliminados em 33.o lugar no evento.

CENÁRIO DO TÍTULO – O cenário da disputa do título está emocionante e o campeão mundial pode até ser definido em uma segunda final 100% brasileira na história do Billabong Pipe Masters. A primeira foi em 2015, quando Adriano de Souza coroou o segundo título mundial seguido do Brasil, vencendo o campeão da Tríplice Coroa Havaiana, Gabriel Medina. Pode ser qualquer combinação entre os três e até o sul-africano Jordy Smith entra nesta batalha final, desde que não seja contra o líder, Italo Ferreira. Mas, se for entre o potiguar e o Medina ou Filipe, ou entre Medina e Filipe ou Jordy, a vitória vale o troféu de campeão mundial.

Italo Ferreira-RN
(Ed Sloane / WSL via Getty Images)

Mas, o título pode ser decidido antes para Italo Ferreira, dependendo do seu desempenho nas ondas de Pipeline, ou do tropeço dos outros concorrentes. Então, acompanhem desde o início, com as probabilidades mudando a cada fase do Billabong Pipe Masters, o que os outros precisam para superar a pontuação do líder, a cada possível resultado do potiguar.

BIO Italo Ferreira
(WSL Latin America)
BIO Gabriel Medina
(WSL Latin America)
BIO Filipe Toledo
(WSL Latin America)

ITALO PODE SER CAMPEÃO ATÉ PERDENDO NA TERCEIRA FASE, SE:

– Gabriel Medina e Filipe Toledo perderem até a terceira fase

– Jordy Smith não chegar nas quartas de final

– Kolohe Andino não chegar na final do Pipe Masters

SE PASSAR PARA AS OITAVAS DE FINAL, SERÁ CAMPEÃO SE:

– Gabriel Medina não passar para as quartas de final

– Filipe Toledo não chegar nas semifinais

– Jordy Smith não chegar na final

– Kolohe Andino não vencer o Pipe Masters

SE PASSAR PARA AS QUARTAS DE FINAL, SERÁ CAMPEÃO SE:

– Gabriel Medina não passar para as semifinais

– Filipe Toledo não chegar na final

– Jordy Smith não vencer o Pipe Masters

– Kolohe Andino sai da briga do título

SE PASSAR PARA AS SEMIFINAIS, SERÁ CAMPEÃO SE:

– Gabriel Medina não passar para a final

– Filipe ou Jordy não vencerem o Pipe Masters

SE PASSAR PARA A FINAL, FESTEJA O TÍTULO SE:

– Medina ou Filipe não vencerem o Pipe Masters

– Jordy sai da briga do título mesmo com a vitória

FINAIS QUE A VITÓRIA VALE O TÍTULO MUNDIAL:

– Italo Ferreira x Gabriel Medina

– Italo Ferreira x Filipe Toledo

– Gabriel Medina x Filipe Toledo

– Gabriel Medina x Jordy Smith

– Filipe Toledo x Jordy Smith

O prazo do Billlabong Pipe Masters vai até 20 de dezembro no Havaí e assistam a grande final do World Surf League Championship Tour 2019 pelo www.worldsurfleague.com ou pelo Facebook Live e aplicativo da World Surf League. No Brasil, a decisão do título mundial também será transmitida ao vivo pelos canais ESPN.

——————————————————————

João Carvalho – WSL Latin America Media Manager

jcarvalho@worldsurfleague.com 

——————————————————————

PRIMEIRA FASE DO BILLABONG PIPE MASTERS:

1.a: Kanoa Igarashi (JPN), Conner Coffin (EUA), Soli Bailey (AUS)

2.a: Kolohe Andino (EUA), Griffin Colapinto (EUA), Jadson André (BRA)

3.a: Filipe Toledo (BRA)Deivid Silva (BRA), Ricardo Christie (NZL)

4.a: Jordy Smith (AFR), Peterson Crisanto (BRA), Frederico Morais (PRT)

5.a: Gabriel Medina (BRA)Willian Cardoso (BRA),

6.a: Italo Ferreira (BRA)Michael Rodrigues (BRA),

7.a: Owen Wright (AUS), Jack Freestone (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA)

8.a: John John Florence (HAV), Adrian Buchan (AUS), Jessé Mendes (BRA)

9.a: Jeremy Flores (FRA), Caio Ibelli (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

10: Kelly Slater (EUA), Michel Bourez (TAH), Sebastian Zietz (HAV)

11: Julian Wilson (AUS), Wade Carmichael (AUS), Joan Duru (FRA)

12: Seth Moniz (HAV), Ryan Callinan (AUS), Yago Dora (BRA)

TOP-22 DO JEEP WSL LEADERBOARD – ranking das 10 etapas com 1 descarte:

01: Italo Ferreira (BRA) – 51.070 pontos

02: Gabriel Medina (BRA) – 50.005

03: Jordy Smith (AFR) – 49.985

04: Filipe Toledo (BRA) – 49.145

05: Kolohe Andino (EUA) – 44.665

06: Kanoa Igarashi (JPN) – 40.185

07: Owen Wright (AUS) – 34.780

08: John John Florence (HAV) – 33.220

09: Jeremy Flores (FRA) – 32.515

10: Kelly Slater (EUA) – 30.090

11: Julian Wilson (AUS) – 29.525

12: Ryan Callinan (AUS) – 27.535

12: Seth Moniz (HAV) – 27.535

14: Wade Carmichael (AUS) – 26.760

15: Michel Bourez (TAH) – 25.900

16: Caio Ibelli (BRA) – 24.895

17: Adrian Buchan (AUS) – 24.565

18: Jack Freestone (AUS) – 24.120

19: Conner Coffin (EUA) – 23.345

20: Griffin Colapinto (EUA) – 22.695

21: Deivid Silva (BRA) – 21.920

22: Peterson Crisanto (BRA) – 20.290

——–outros brasileiros:

23: Willian Cardoso (BRA) – 19.930 pontos

24: Michael Rodrigues (BRA) – 19.640

25: Yago Dora (BRA) – 19.365

28: Jessé Mendes (SP) – 16.875

32: Jadson André (RN) – 13.255

35: Adriano de Souza (SP) – 8.995

43: Mateus Herdy (SC) – 1.860

45: Krystian Kymerson (ES) – 1.330

54: Alex Ribeiro (SP) – 265

——————————————————————

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América Latina, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem promovendo os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 230 eventos globais masculinos e femininos no ano para definir os campeões mundiais do World Surf League Championship Tour, Big Wave Tour, Redbull Airborne, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, além do WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, enquanto incentiva a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da WSL. A World Surf League é pioneira em streaming online para uma enorme legião de fãs apaixonados e interessados em ver as grandes estrelas, como Kelly Slater, Stephanie Gilmore, John John Florence e muitos brasileiro, como Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Silvana Lima, Tatiana Weston-Webb, competindo no campo de jogo mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.